Vias do Inferno

VIAS DO INFERNO

 

 A serra da Estrela continua a surpreender!
 

Desta vez em modo telegráfico (em véspera de viajar para os Alpes), ficam as nossas últimas criações na sempre magnífica Serra da Estrela.
Ali mesmo ao lado da bela “Deslarga-te (6c)”, no sector “Placa dos Mercadores”, a Daniela abriu uma convidativa fissura que permanecia esquecida, com certeza devido ao facto de todas as luzes irradiarem para a híper-mega-evidente “Deslarga-te”. 
A Daniela a iniciar a futura “Gueixa Sunrise”.
A “Gueixa Sunrise (6b)” foi escalada no dia 17 de Maio, aquando de umas sessões escalatórias e fotográficas naquele sector. O seu nome deriva de um tipo particular de corte e penteado “inventado” pelo cabeleireiro da Daniela. O que nos despertou a curiosidade foi o detalhe de se baptizarem certos cortes de autor, à semelhança do que os escaladores fazem quando inauguram um novo itinerário… coisas de artistas!
 A Daniela a abrir a “Gueixa Sunrise”, sob os “Flashes” do… Flash!
 A entrar na secção de saída comum com a “Deslarga-te”.
Entretanto, no passado dia 14 de Junho, após prévia limpeza (escassa!) e equipamento de pontos de reunião, desde o cimo, realizámos a primeira ascensão da “Andorinha do Inferno”. Como o nome sugere, foi uma via aberta no “Sector do Inferno”. A nova linha possui quatro lances e uma dificuldade máxima de 6c. Esta via, situada entre as “Desportex total” e “O Visionário”, inicia pela chaminé tombada, geralmente utilizada no Inverno para subir o “Corredor do Inferno”, torcendo pouco depois para a esquerda na direcção de um “Off-widht” incontornável. 
A terminar o primeiro lance da “Andorinha do Inferno”.
O segundo largo escala o “Off-widht”, quase sempre sem obrigar a recorrer à penosa técnica de chaminé. Com efeito, é possível escalar quase tudo por fora mas, atenção: proteger o início do lance é apenas possivel colocando um ou dois micro-friends (Alien azul e verde) por detrás de uma pequena lastra (sólida). Caso não se consiga proteger ali, está assegurado um “Run-out” longo e, “estragar a pintura”, garante uma queda na plataforma! 
 “Yuuupiii!” Agora mais tranquilo, após ultrapassar a secção mais delicada do segundo lance. Aqui é possivel apreciar as primeiras protecções obrigatórias – ver topo -, colocadas por detrás de uma pequena lastra.
 A chegar à saída dificil do segundo lance.
 A Daniela a terminar o segundo lance.
Um terceiro lance de acesso permite ganhar a fantástica fissura totalmente limpa (uma ponte de rocha) que se escala até ao topo da parede. Este lance é maior do que parece à primeira vista (uns 50 metros) e, permite escapulir por cima, até alcançar a estrada. 
 Não parece mas, a fissura é das melhores! O ultimo lance da “Andorinha do Inferno”.
 Perdido no mar de granito.
Com cordas duplas, é possível “rapelar” a via até ao ponto de partida ou, para aqueles cujo bichinho da aventura ainda possua alguma fome, ganhar a base das outras excelentes opções disponíveis no sector. 
 “Check! Una mas! Yô!”
A pensar no Verão, aqui ficam (um bocadinho a seco) mais algumas opções, para os amantes da tranquilidade, aventura e qualidade, que a “nossa” serrinha tão gentilmente oferece.
Paulo Roxo
Os topos e… toca a desfrutar!

 

Leave a Reply